RELEASE

Série O GLOBO / Dell’Arte Concertos Internacionais 2012

Palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro receberá 10 expoentes da música clássica para celebrar os 30 anos da Dell’Arte e os 19 anos da Série de Concertos mais tradicional do Rio de Janeiro.

Publicado em 08/12/2011, por
Atualizado em 17/12/12 12h11

Há 18 anos, o pianista brasileiro Nelson Freire subiu ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro para inaugurar aquele que se tornaria o maior evento de música clássica da cidade e um dos principais do país: a Série Dell´Arte Concertos Internacionais. Durante os anos seguintes, a Série apresentou para os cariocas mais de 150 atrações entre o que de mais importante e significativo existia no cenário da música clássica internacional. Prevista para se iniciar no dia 17 de abril de 2012, a Série teve o lançamento de sua 19ª temporada, adiado para maio devido ao fechamento do Theatro Municipal, ocasionado pelo desabamento dos prédios vizinhos. Nelson Freire, cujo recital estava inicialmente agendado para a abertura da Série, irá se apresentar no dia 02 de setembro no Theatro Municipal. A apresentação da Orquestra Nacional Russa, agendada para o dia 23 de abril, foi cancelada.  A abertura da atual temporada da Série acontecerá no dia 17 de maio com a Orchestre National Du Capitole de Toulouse. Além de celebrar os seus 19 anos, a Série Dell’Arte Concertos Internacionais 2012 também comemora os 30 anos da Dell’Arte Soluções Culturais. As atrações programadas para se apresentarem até o dia 04 de novembro, quando a série se encerra, incluem os pianistas Lang Lang, Evgeny Kissin e András Schiff, além de Nelson, todos estrelas de primeira grandeza do piano mundial; a violinista Hilary Hahn, uma das sensações do violino da atualidade; a celebrada violoncelista Sol Gabetta; o aclamadíssimo soprano Renée Fleming; e a vencedora do Grammy 2012, a mezzo-soprano Joyce DiDonato. Uma das tradições da Série – a presença de grandes orquestras terá ainda este ano a Orquestra do Maggio Musicale Fiorentino, dirigida pelo maestro Zubin Mehta, uma das estrelas do mundo clássico.

As atrações

Orchestre National du Capitole de Toulouse

YouTube Preview Image

Tugan Sokhiev, regente

Fundada no início do século XIX especialmente para acompanhar as temporadas de ópera do Théâtre du Capitole, a orquestra adquiriu status sinfônico em 1945. Teve entre seus diretores musicais André Cluytens, Georges Prêtre e Michel Plasson, figura decisiva em seu desenvolvimento, que a colocou em nível internacional. O sucesso levou o Ministério da Cultura da França a elevá-la ao patamar de “Orquestra Nacional”. A Orchestre du Capitole de Toulouse mantém séries anuais de concertos em La Halle aux Grains de Toulouse e no Théâtre du Capitole, além de participar dos principais festivais da França e da Europa. Entre suas gravações mais famosas destacam-se uma Carmen com Angela Gheorghiu e Roberto Alagna e um Werther com Thomas Hampson e Susan Graham. Em setembro de 2005, o maestro russo Tugan Sokhiev assumiu como regente principal, tornando-se posteriormente seu Diretor Musical.

Lang Lang, piano

YouTube Preview Image

Natural de Shnyang, no nordeste da China, Lang Lang — mais um menino prodígio oriental — começou a estudar piano aos três anos. Aos cinco, conquistava o 1º lugar no Concurso de Piano de Shenyang; aos nove ingressava no Conservatório Central da China; aos 11 era o 4º colocado no Concurso Internacional de Jovens Pianistas da Alemanha; aos 13 conquistava o 1º lugar no II Concurso Internacional Tchaikovsky de Músicos Adolescentes. Aos 15 anos ingressava no prestigioso Instituto Musical Curtis da Filadélfia. Conquistou a fama internacional em 1999, ao executar o Concerto para Piano Nº 1 de Tchaikovsky com a Sinfônica de Chicago no Festival de Ravinia. Ao sentar-se ao piano, os olhos de Lang Lang brilham e seus dedos bailam nas teclas, expressando grande emoção. Ao olhar para o futuro, o pianista dispara: “Posso encontrar uma vida e um futuro melhor no mundo musical” — o que o leva a absorver incansavelmente todos os tipos de música, seja ela clássica ou moderna, ocidental ou tradicional chinesa. Lang Lang executa cerca de 140 concertos anuais.

Evgeny Kissin, piano

YouTube Preview Image

A primeira mestra de Kissin foi sua mãe. Ao completar seis anos ingressou na Escola de Música Gnessin de Moscou. Apresentou-se em público pela primeira vez aos 10 anos, como solista de um concerto de Mozart. Aos 11, dava seu primeiro recital solo. Em 1984, com apenas 12 anos, tocou os dois concertos para piano de Chopin diante de uma platéia lotada no Conservatório de Moscou. Em 1988 já tocava no Festival de Salzburgo, mesmo ano em que assombraria o mundo com sua interpretação do Concerto para piano Nº 1 de Tchaikovsky com a Filarmônica de Berlim e Herbert von Karajan, transmitida ao vivo pela televisão para a Europa e Estados Unidos e que colocou Kissin definitivamente no panteão dos grandes do piano. Em 1997 torna-se o primeiro pianista a apresentar um recital solo no BBC Proms em Londres. Em sua vasta discografia, destacam-se composições de Chopin, Rachmaninov, Schumann, Schubert, Brahms, Haydn, Mozart, Beethoven, Liszt, Scriabin, Tchaikovsky, Mussorgsky, César Frank, Medtner, Prokofiev, Shostakovich e Stravinsky.

Maggio Musicale Fiorentino

YouTube Preview Image

Zubin Mehta, regente

O Maggio Musicale Fiorentino é um festival anual de ópera. Mas com o passar do tempo, sua orquestra e coro passaram a apresentar-se em concertos e a granjear um prestígio que a coloca hoje como uma das mais importantes formações musicais italianas. O grupo foi fundado em abril de 1933 pelo maestro Vittorio Gui, com o objetivo de apresentar produções de óperas contemporâneas ou mais antigas, mas pouco representadas. Foi inaugurado com Nabucco, de Verdi. Hoje é o festival de ópera mais importante do país. Desde 1985 Zubin Mehta é seu maestro principal. Um dos maiores fenômenos da regência da segunda metade do século XX, Mehta é possuidor de um carisma excepcional. Ele estreou em Viena, em 1958, e no mesmo ano vencia o Concurso Internacional de Regência em Liverpool, Inglaterra. Posteriormente foi diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Montréal, Filarmônica de Los Angeles, Filarmônica de Nova York, Ópera da Baviera, e regente honorário da Filarmônica de Munique. É também diretor artístico vitalício da Filarmônica de Israel.

András Schiff, piano

YouTube Preview Image

Aclamado intérprete de Bach, Schubert, Mozart e Schumann, o húngaro András Schiff estudou na Academia Ferenc Liszt de Budapeste, e completou sua formação em Londres, com George Malcolm. Schiff dedica-se especialmente aos recitais e ciclos especiais de compositores como J.S. Bach, Haydn, Mozart, Beethoven, Schubert, Chopin, Schumann e Bartók. Já se apresentou com as principais orquestras e regentes do mundo, e atualmente atua também como maestro. Em 1999 criou sua própria orquestra de câmara, a Cappella Andrea Barca. Schiff conquistou numerosos prêmios internacionais, sendo o mais recente deles o Prêmio “KlavierFestival Ruhr” (para notável desempenho pianístico) em junho de 2009. Foi ainda finalista do Concurso Internacional de Piano de Leeds (1975) além de receber o Grammy, na categoria de “Best Instrumental Soloist Performance” (1990), a Medalha em Memória de Claudio Arrau (1994), e os prêmios Kossuth (1996), Léonie Sonning (1997) e Bach da Royal Academy of Music (2007). É Professor Honorário das escolas de música de Budapeste, Detmold e Munique, e “Special Supernumerary Fellow of Balliol” (College, Oxford, Reino Unido).

Hilary Hahn, violino

YouTube Preview Image

Ainda muito jovem, a violinista deixou da ser uma grande promessa e passou a ser considerada hoje como uma das maiores do mundo. Apontada pela revista Time como a melhor musicista clássica jovem dos Estados Unidos em 2001, Hilary Hahn começou sua carreira internacional na Alemanha, aos 15 anos de idade, em apresentações regidas por Lorin Maazel. A primeira experiência da violinista nos estúdios rendeu-lhe o “Diapason d’Or” de 1997 da revista Diapason, por sua interpretação de sonatas e partitas de Bach. Seu álbum subsequente, dedicado a Beethoven e Bernstein, valeu-lhe a primeira indicação ao Grammy, finalmente conquistado em 2001, com gravação de obras de Brahms e Stravinsky. Hilary Hahn apresenta-se pelo mundo a fora ao lado das melhores orquestras da Europa, da Ásia e da América do Norte.

Sol Gabetta, violoncelo

YouTube Preview Image

A violoncelista argentina transferiu-se para a Espanha aos 12 anos, de lá seguindo para a Alsácia, na França. Já aos 10 anos vencia seu primeiro concurso, fato que viria a repetir-se muitas outras vezes, com a conquista, inclusive, do Prêmio Natalia Gutman por “Melhor Interpretação Musical” no Concurso Internacional Tchaikovsky de Moscou. O reconhecimento internacional veio em 2004, quando foi aclamada no Festival de Lucerna, apresentando-se como solista da Filarmônica de Viena dirigida por Valery Gergiev. Desde então apresenta-se em concertos e recitais em todo o mundo. Em 2009 a violoncelista recebeu o Prêmio Echo, como “Artista do Ano” e o “Diapason d’Or” da prestigiosa revista Diapason. Desde 2005 Sol Gabetta tem seu próprio festival de música de câmara, o Solsberg, que se realiza em Olsberg, na Suíça, e leciona na Academia da Basileia, cidade onde atualmente reside.

Renée Fleming, soprano

YouTube Preview Image

Aclamada pela imprensa como “uma das vozes verdadeiramente magníficas de nosso tempo”, o soprano americano tem uma carreira que se estende ao longo de uma década. Reconhecida por sua fabulosa musicalidade e habilidade interpretativa, ela conquistou um Grammy, um enorme número de prêmios da imprensa especializada e as plateias do mundo inteiro com seu trabalho nos teatros da ópera, em concerto e recitais, na televisão, rádio e gravações. Uma das cantoras mais reverenciadas da atualidade, Renée Fleming tem em seu repertório todos os grandes papéis de soprano lírico “spinto”, além de ter protagonizado várias estreias mundiais, como as de Um Bonde Chamado Desejo de André Previn e Ligações Perigosas de Conrad Susa na Ópera de San Francisco, e O Fantasma de Versalhes de John Corigliano no Metropolitan de Nova York. O soprano é hoje um dos maiores nomes da cena lírica internacional. Fleming é também reconhecida pelo apoio que dá à nova música.

Nelson Freirepiano

YouTube Preview Image

O pianista brasileiro, que se coloca hoje na linha de frente dos grandes vultos da música clássica mundial, foi quem inaugurou a primeira edição da Série Dell’Arte Concertos Internacionais. Nelson é hóspede habitual dos festivais de Londres, Berlim, Mônaco, Viena, Paris, Amsterdam, Copenhague, Hamburgo, Praga, Zurique, Berna, Genebra, Lisboa, Telaviv, Tóquio, Nova York, Boston, Washington e Montreal.  Apresenta-se frequentemente com Martha Argerich — com quem forma um dos mais prestigiosos duos da atualidade — e com Gidon Kremer, Misha Maisky e Antonio Meneses. Colabora ainda com conjuntos de câmara como os Quartetos Prazak e Amadeus. Já participou de turnês europeias com algumas das principais orquestras do velho continente. Nelson já gravou para os selos Audiofon, Sony Classical, Philips e Teldec e atualmente é artista exclusivo da Decca, onde seus registros têm sido saudados como referências por crítica e público.

Joyce DiDonato, mezzo-soprano

YouTube Preview Image

“Talvez a mais potente cantora de sua geração” de acordo com o New Yorker, Joyce DiDonato é a mais nova atração da Série O Globo Dell´Arte Concertos Internacionais. A mezzo-soprano, vencedora do Grammy 2012, será acompanhada pelo pianista David Zobel na sua apresentação no Rio de Janeiro. No programa, obras de Haendel, Mozart e Rossini.

Série O Globo / Dell’Arte Concertos Internacionais – 19ª Temporada

Ingressos para o público estão à venda através do Disque Dell’Arte: 4002 0019 ou acesse http://www.dellarte.com.br/minisites/concertos/

17 de maio, 5ª feira – 20h30 Orchestre National Du Capitole de Toulouse
Regente:
Tugan Sokhiev
Solista: Bertrand Chamayou, piano
24 de maio, 5ª feira – 20h30 Lang Lang, piano
20 de junho, 4ª feira – 20h30 Evgeny Kissin, piano
21 de agosto, 3ª feira – 20h30 Orchestra del Maggio Musicale Fiorentino
Regente:
Zubin Mehta
25 de agosto, sábado – 16h András Schiff, piano
31 de agosto, 6ª feira – 20h30 Joyce DiDonato, mezzo-soprano
David Zobel, piano
02 de setembro, domingo – 17h Nelson Freire, piano
11 de setembro, 3ª feira – 20h30 Hilary Hahn, violino
Natalie Zhu, piano
29 de setembro, sábado – 16h Sol Gabetta, violoncelo
Mihaela Ursuleasa, piano
04 de novembro, domingo – 20h30 Renée Fleming, soprano
Gerald Martin Moore, piano

 

TV VIDEOS

Info Sobre


Press Credenciamento


 

CADASTRO